80 Days of Vinyl

Music is my boyfriend
20º / Confessions on a Dancefloor - Madonna 

20º / Confessions on a Dancefloor - Madonna 

20º / Confessions on a Dancefloor - Madonna

Confessions on a Dance Floor é o décimo álbum de estúdio da cantora norte-americana Madonna. Lançado em 15 de novembro de 2005 pela Warner Bros. Records. O álbum marcou um afastamento de seu último trabalho, American Life, lançado em 2003. Incluiu influências da discoteca dos anos 70 e 80, bem como da dance music contemporânea. Nesse projeto, Madonna trabalhou com Stuart Price, inicialmente do documentário I’m Going to Tell You a Secret. As gravações ocorreram principalmente nos estúdios da casa de Stuart, onde Madonna passou a maior parte do seu tempo.

Musicalmente é estruturado como um repertório de DJ. As faixas estão sequenciadas de forma que não haja intervalos entre elas. Seu título vem do fato de que as faixas consistem em canções alegres e felizes no início, progredindo para melodias mais sombrias e letras que descrevem compromissos e sentimentos pessoais. Suas canções usam amostras e referências de faixas de outros artistas, como ABBA, Donna Summer, Pet Shop Boys, Bee Gees e Depeche Mode. A artista também incorporou referências de seus trabalhos antigos.

Após o lançamento, o álbum foi geralmente bem recebido por parte da crítica, A direção musical de Price também teve receptividade positiva. Nas paradas musicais, Confessions on a dance Floor chegou ao primeiro lugar em 40 países, ganhando um lugar no Guinness Book of World Records de 2007. Também foi o sexto disco mais vendido de 2005, apesar de ter sido lançado em meados de novembro do mesmo ano. Em todo mundo, vendeu cerca de 10 milhões de cópias.

O disco rendeu quatro singles, “Hung Up”, o primeiro, Tornou-se um grande sucesso comercial, tendo atingido o primeiro lugar das tabelas de 41 países. Foi seguido por “Sorry”, que também obteve um bom desempenho, tendo se tornado o décimo segundo single de Madonna a atingir o primeiro lugar no Reino Unido. “Get Together" e "Jump" foram lançados como o terceiro e quarto singles respectivamente, sendo que ambos tornaram-se sucessos nas paradas de dance. O álbum foi promovido em 2006 pela “The Confessions Tour”, que até então se tornou a turnê mais lucrativa por uma artista feminina.

 http://www.4shared.com/rar/pv9kHgOF/confessions_on_a_dance_floor.html

21º / La Roux

21º / La Roux

21º / La Roux

La Roux é o álbum de estréia homônimo do dueto electropop de mesmo nome.Lançado no Reino Unido em 29 de Junho de 2009 pela Polydor Records, o álbum inclui os singles “In for the Kill” e “Bulletproof”, que alcançou a posição número dois e um na UK Singles Chart, respectivamente. O álbum estreou como número dois na parada de álbuns britânica sobre as vendas de 62,650 cópias, tornando-se os mais altos primeira semana de vendas para um álbum de estréia em 2009 para o Reino Unido, até que Florence and the Machine lançou seu álbum de estreia Lungs, que vendeu 63,020 cópias. Foi disco de platina pela Indústria Fonográfica Britânica em 12 de fevereiro de 2010, tendo vendido 350.000 cópias no Reino Unido até agora.
O álbum foi nomeado para o Mercury Prize 2009, e ganhou Melhor Álbum de Eletrônica / Dance no 53rd Grammy Awards em 13 de fevereiro de 2011. A Gold Edition 10-track do álbum foi lançado digitalmente nos Estados Unidos em 8 de fevereiro de 2011, incluindo a versão Kanye West-featured de “In for the Kill”.
http://www.4shared.com/rar/bdA2p0J-/La_Roux_-_La_Roux__2009_.html

22º / Revolver - The Beatles

22º / Revolver - The Beatles

22º / Revolver - The Beatles

Revolver é o sétimo álbum do grupo de rock inglês The Beatles lançado em 5 de agosto de 1966, inicialmente no Reino Unido e em 8 de agosto nos EUA. Atingiu o primeiro lugar nas paradas de sucesso americanas e inglesas. Este álbum está na lista dos 200 álbuns definitivos no Rock and Roll Hall of Fame.

Considerado ainda mais inovador do que seu antecessor (Rubber Soul, de 1965), Revolver marca a adesão oficial dos Beatles ao Psicodelismo. Passeia desde a música oriental “Love You To”, aos apelos vibrantes de “Got to Get You into My Life”, da solidão lúgubre de “Eleanor Rigby”, ao experimentalismo psicodélico de “Tomorrow Never Knows" e o ufanismo de "Yellow Submarine”. Nesta, particularmente, a chave da nova “abertura”: "Vamos vivendo uma bela vida/Achamos para tudo uma saída/Céu azul, mar verde e belo/Em nosso submarino amarelo". Com os Beatles, o mundo embarcaria no submarino amarelo da fantasia, pronto para viver toda a loucura dos últimos anos da década.

George Harrison aumenta sua participação como compositor, Pela primeira e única vez, George consegue colocar três músicas de sua autoria em um álbum dos Beatles. ”Taxman” é uma crítica aos altos impostos ingleses cobrados de pessoas com altos ganhos como os Beatles. No trecho em que George canta ”Mr. Wilson” e sobre ”Mr. Heath” ele refere-se especificamente a Harold Wilson (Primeiro Ministro Inglês do Partido Trabalhista) e a Edward Heath (Líder da oposição do Partido Conservador) políticos da época. ”I Want To Tell You” fala sobre a sua dificuldade em se expressar em um momento que vivia uma avalanche de pensamentos. E ”Love You To”, George traz mais uma vez o uso de instrumentos indianos, a tabla e cítara e ele é o único a participar da gravação da música.

Há suposições de que músicas como ”She Said, She Said”, ”Dr. Robert”, ”Got To Get You Into My Life” tenham sido escritas durante o uso de drogas.

Na música ”She Said She Said”, John supostamente se inspirou em sua segunda experiênica com LSD. Há um trecho que diz ”I know what it’s like to be dead” (“Eu sei como é estar morto”) frase que Peter Fonda teria lhe dito após tomar ácido. Nela, George assume o baixo após Paul largar as gravações em decorrência de uma briga com John Lennon. Esta música, juntamente com And Your Bird Can Sing, do mesmo álbum, constitui um dos primeiros registros do que seria conhecido posteriormente como power pop.

"Dr. Robert" fala sobre um médico que receitava anfetaminas a seus pacientes famosos. Paul reconheceria mais tarde que ”Got To Get You Into My Life” falava de sua experiência com a maconha e foi feita inspirada na soul music americana com o uso de metais.

Tomorrow Never Knows uma das primeiras músicas ao estilo do emergente rock psicodélico. A música foi inspirada no livro de Timothy Leary, ”O Livro Tibetano da Morte”. Inicialmente se chamaria ”The Void” ou ”Mark I”. A utilização do loop, aliado à repetição rítmica constante da bateria de Ringo, torna esta faixa como uma das ancestrais da música eletrônica no mundo.

Há ainda grandes influências psicodélicas nas músicas Doctor Robert e She Said She Said, duas músicas que falam sobre drogas, ou mais especificamente o LSD.

"Eleanor Rigby" é mais uma música de McCartney com arranjos orquestrados e somente com a participação de Paul (assim como foi feito em Yesterday). Iria se chamar ”Miss Daisy Hawkins”. Mas o nome da música foi mudado para ”Eleanor Rigby”, em homenagem a um túmulo que ficava perto do local onde a antiga banda de John, The Quarrymen, se apresentava. ”Yellow Submarine” escrita por Paul e cantada por Ringo, tem em sua letra um tema infantil que depois seria aproveitada para dar título a um desenho animado feito pelos Beatles. Traz sons de bolhas, barulho de água e outros barulhos gravados em estúdio.

Em ”And Your Bird Can Sing” os Beatles usaram solo duplo de guitarra e era uma das músicas de John que ele não gostava. Em ”I’m Only Sleeping”, George fez o solo de guitarra e depois tocou o som ao contrário.

McCartney novamente escreve suas baladas. ”For No One”, ele escreveu para sua namorada na época (Jane Asher) e se chamaria inicialmente ”What Did I Die?” . E a clássica ”Here, There And Everywhere” que era uma das músicas preferidas de John.

http://www.4shared.com/rar/5bp5MK1d/file.htm

23º / Led Zeppelin IV - Led Zeppelin

23º / Led Zeppelin IV - Led Zeppelin

23º / Led Zeppelin IV - Led Zeppelin

Led Zeppelin IV é o quarto álbum de estúdio do grupo de rock britânico Led Zeppelin, lançado a 8 de Novembro de 1971. Este álbum está na lista dos 200 álbuns definitivos no Rock and Roll Hall of Fame.

Não possui qualquer título oficial mencionado na capa e é habitualmente designado de Led Zeppelin IV, na linha dos três anteriores registros da banda. Os catálogos da Atlantic Records costumam usar Four Symbols e The Fourth Album. O guitarrista dos Led Zeppelin, Jimmy Page, frequentemente refere-se ao álbum em entrevistas como Led Zeppelin IV, enquanto que o vocalista Robert Plant designa-o de “o quarto álbum, mais nada”.

É um dos álbuns mais vendidos da história, com mais de 23 milhões de cópias vendidas somente nos Estados Unidos. As vendas a nível mundial estimam-se para cerca de 37 milhões de cópias.

Cada integrante era representado por um símbolo diferente. Apesar de o disco ser conhecido como “Runas”, apenas os dois símbolos do meio são realmente runas. Os outros dois são símbolos mágicos.

Jimmy Page O símbolo relacionado ao guitarrista Jimmy Page, geralmente é associado a uma palavra (ZoSo). No entanto, este símbolo tem uma conotação não-alfabética. Foi desenhado pelo próprio Jimmy page. A fonte do símbolo é de conhecimento público. O significado dele, no entanto, continua sendo um mistério até os dias de hoje. O símbolo apareceu pela primeira vez no livro Ars Magica Arteficii, de 1557, escrito pelo alquimista Gerolamo Cardano, onde é identificado como um símbolo composto por signos do zodíaco. O símbolo também foi reproduzido no Dicionário de Ocultismo e Símbolos Alquímicos, de Fred Gettings, publicado em 1982. O símbolo era muito utilizado para representar o planeta Saturno em rituais de magia. Jimmy Page é de Capricórnio, um signo comandado por Saturno. O símbolo parecido com a letra Z é comumente associado a Saturno na astrologia. A outra parte do símbolo de Page (o oSo) é parecido com o símbolo alquímico do Mercúrio, também muito associado a Saturno. O que o símbolo representa para Jimmy Page, no entanto, é um mistério, uma vez que ele nunca revelou publicamente o seu significado.

John Bonham O símbolo do baterista da banda, John “Bonzo” Bonham, os três círculos interligados, e representa a trindade da mãe, do pai e do filho. O símbolo poderia representar também uma bateria vista de cima. O fato de os símbolos do John Bonham e do John Paul Jones (baixista da banda) serem extremamente semelhantes e combinarem (um sendo a imagem invertida do outro) não é por acaso. No jazz - uma das grandes influências da banda - o baixista e o baterista formam partes interligadas de uma seção rítmica. Na verdade, esse símbolo aparecia no rótulo da cerveja Ballantine, que era a favorita de Bonham. Assim, na hora de escolher o símbolo que o representaria, ele decidiu pegar esse emprestado.

John Paul Jones O símbolo do baixista John Paul Jones é composto por 3 formas ovais que se interceptam e são circundadas por um único círculo. O símbolo foi tirado de um livro de runas e simboliza uma pessoa com confiança e competência.

Robert Plant O vocalista Robert Plant adotou como símbolo a pena da deusa egípcia Ma’at, que significa verdade, justiça e lealdade, envolta por um círculo impenetrável que significa vida. De acordo com a mitologia egípcia, Anubis, o deus do julgamento e da morte, pegaria o coração daqueles que morreram e colocaria em uma balança juntamente com uma pena de Ma’at. Se o coração fosse mais pesado que a pena, a alma da pessoa iria para o inferno. Se o coração fosse mais leve que a pena, a alma iria para o céu.

 http://www.4shared.com/rar/o_uvQxs2/Led_Zeppelin_-_Led_Zeppelin_IV.html

24º / Strange Days - The Doors

24º / Strange Days - The Doors

24º / Strange Days - The Doors

Strange Days é o segundo álbum de estúdio do The Doors lançado em 2 de Outubro de 1967.

É constituído na sua maioria por canções que não foram incluídas em seu primeiro álbum. Este álbum contém canções como “Strange Days”, “People Are Strange”, “Love Me Two Times" e "When the Music’s Over”. A última é um poema na linha do épico “The End”. Todas pretendidas para serem do primeiro, mas por motivos não conhecidos, foram adiadas e aperfeiçoadas para esse segundo álbum.

O álbum inclui também “Moonlight Drive”, que foi uma das primeiras canções escritas por Jim Morrison, ainda antes da formação do grupo. A canção foi gravada em 1965 (demo) e em 1966 (pretendido para seu primeiro álbum). Em 1967, uma versão final foi gravada e lançada neste álbum.

 

 http://www.4shared.com/rar/uyP61YjQ/file.htm

25º / Donkey - CSS

25º / Donkey - CSS

25º / Donkey - CSS

Donkey é o segundo álbum da banda alternativa brasileira Cansei de Ser Sexy. O álbum foi gravado no estúdio da gravadora Trama, em São Paulo. Foi lançado em 21 de Julho de 2008, sucedendo o álbum Cansei de Ser Sexy.

Três meses antes do lançamento, a baixista Iracema Trevisan deixou a banda, dizendo que se dedicaria aos estudos, e foi substituída por Adriano Cintra, até então baterista. O novo baterista é Jon Harper, ex-The Cooper Temple Clause.

O primeiro single é “Rat Is Dead (Rage)”, que foi disponibilizado para download desde 28 de Abril de 2008. Contendo também os singles, Move, Left Behind e a minha favorita que nunca será single Believe, Achieve.

 http://www.4shared.com/rar/6ncNagEF/CSS_-_Donkey__2008_.html

‎26º / Day & Age - The Killers

‎26º / Day & Age - The Killers

26º / Day & Age - The Killers

Brandon Flowers, líder do grupo, disse que não havia um conceito para o álbum. Flowers também disse, em uma entrevista à revista Q, que ele estava animado em tocar uma nova canção chamada “Tidal Wave”, influenciada por “Drive-In Saturday”, de David Bowie e “I Drove All Night”, de Roy Orbison, que só está presente como faixa bônus iTunes (EUA e Canadá). O álbum mostra um conceito totalmente novo dos Killers, para uma linha muito próxima de pet Shop Boys, e músicas havaianas. Recomendo: Losing Touch, Human, Joy Ride, Neon Tiger e The World we Live in, da qual tem uma passagem que deu nome ao álbum. I heard a rumor that you quit this day and age”.

 http://www.4shared.com/rar/Y8gn3GPf/The_Killers_-_Day_e_Age.html